Contioutra
Religião & Espiritualidade

3 monges, 1 mulher e a travessia do rio

Uma lição de maturidade e sabedoria

Três monges estavam a caminho do convento e tinham que atravessar um rio. Dois deles ainda eram muito jovens, um mais velho. Eles olharam para a direita e para a esquerda. Em nenhuma das direções havia uma ponte. Eles tinham mesmo que passar por dentro d’água. No momento que queriam iniciar a travessia, viram uma mulher jovem e atraente, ajoelhada na margem e chorando.

>>O que você tem?<<, perguntou o monge mais velho.

>>Já tentei atravessar o rio, mas a correnteza está muito forte para mim.<<, respondeu a mulher. >>Minha mãe vive do outro lado do rio, está muito doente e preciso ir visitá-la.<<

O monge mais velho abaixou-se e ofereceu à mulher o seu ombro, para que ela subisse e assim pudesse atravessar o rio.

Chegando do outro lado, os monges despediram-se da mulher e seguiram caminho. Faltavam ainda muitas horas de caminhada até o mosteiro. Desde a travessia do rio, os monges mais jovens ficaram calados, e pareciam chateados.

Próximo ao convento, um dos jovens falou para o mais velho:

>>Desculpe-me, irmão, mas tem algo que precisamos esclarecer antes de chegarmos. Nós somos monges, juramos celibato e juramos também evitar qualquer contato corporal com mulheres. Mas, ao atravessarmos o rio, você não hesitou em oferecer o seu ombro para uma mulher jovem e muito bela…<<

>Sim<<, disse o monge mais velho, >>juramos celibato e com isso devemos evitar contato físico com mulheres. Mas também nos comprometemos ajudar outras pessoas. Sim, carreguei a mulher durante a travessia, ou seja, me ocupei com ela por alguns minutos. E vocês, irmãos, o que fazem? Você a estão carregando consigo há várias horas. Não seria melhor vocês finalmente largarem a mulher, esquecermos o assunto e continuarmos a caminhar?<<

Curta Caminhos no Facebook

Você gosta de escrever? Seja um colaborador do site!
Clique aqui para mais informações


Escreva um comentário

Clique aqui para postar um comentário