Elisangela Siqueira

Psicóloga com especialização em Psiquiatria e Psicologia da Infância e da Adolescência e em Psicoterapia Psicanalítica Breve. Mais de 10 anos de experiência. Atendimentos presenciais e online.

Por que as mães carregam todas as dores do mundo?

A dor que sentimos diante de qualquer desgraça que se abata sobre uma criança e seus familiares é tão lasciva que nos colocamos no lugar deles. Talvez seja por isso que identificamos facilmente as crianças ao nosso redor que estão precisando de alguma ajuda ou carinho, que somos prestativas com as mães que, por algum motivo, estão meio perdidas, que somos mais pacienciosas e solidárias.

Qual a nossa responsabilidade no uso das redes sociais?

A internet é utilizada diariamente por 3,2 bilhões de pessoas no mundo, mas será que sabemos utilizá-la com responsabilidade e ética?

O que eu vou ser quando meu filho crescer?

Depois de cumprirmos essa missão com êxito, nos sobrará o tempo, e seremos melhores em qualquer coisa que decidirmos fazer, pois depois da maternidade mudamos nosso olhar sobre o mundo, somos menos exigentes, mais gentis, persistentes e, sobretudo, mais fortes.

A importância da magia natalina para as crianças pequenas

A criança precisa de fantasia para formar o seu mundo real e a magia natalina alimenta sua imaginação e contribui para desenvolver seu intelecto e tornar claras suas emoções.

E quando a “lei do retorno” falha?

A “lei do retorno” falha, mas que nunca deixemos de acreditar em nós mesmos, no amigo que está ao lado, na providência divina, num amanhã melhor, pois estamos só de passagem.

As boas mães erram todos os dias

Todas as mães erram. A mãe que nunca errou pelo menos uma vez por dia que atire a primeira pedra.

Quando NÃO se deve fazer psicoterapia

É importante conhecer as contraindicações do processo terapêutico

Psicanálise para iniciantes e curiosos

O Divã, na maioria das vezes, representa um objeto de muito medo ao paciente que está iniciando uma psicanálise e, outras vezes, é fonte de curiosidade.

Minha família não cabe no Whatsapp

Perguntei-me como seria se minha família tivesse um grupo no WhatsApp, como as outras famílias, mas constatei que não daria, pois acho que funcionamos um pouco diferente. Minha família tornou-se estranha nessa época digital. Nos reunimos todos aos domingos e não fotografamos nada, na maioria das vezes.

Conecte-se!

Siga a página de Caminhos no Facebook e acompanhe as publicações do site.