Exija menos dos outros e seja mais feliz.
Autoconhecimento Seleção do Editor

Exija menos dos outros e seja mais feliz.

A vida seria muito mais descomplicada se exigíssemos menos das pessoas. Afinal, também não queremos que recaia sobre nós a responsabilidade de sermos perfeitos. Não estamos prontos e nem dispostos a isso, então por que exigir tal coisa dos outros?

Nunca houve ou dificilmente haverá um ser humano que nunca tenha falado mal de alguém. Esse comportamento é muito comum na roda de amigos e familiares. Até você, caro leitor, já deve ter deixado a orelha de muita gente quente por aí. Afinal, quem nunca?

No entanto, se pensarmos melhor sobre esse comportamento e tivermos um pouco de humildade, não será difícil chegar à conclusão de que não faz nenhum sentido falar mal das pessoas que nos desagradam de alguma forma.

Parto do princípio de que somente podemos protestar ou exigir algo de alguém se temos condição de sermos antagônicos ao ato ou pensamento alheio ao qual criticamos. Parafraseando Jesus Cristo: não adianta querer tirar o cisco do olho do próximo enquanto tem uma trave bem maior no seu.

É notória a máxima que diz que ninguém é perfeito. Por isso, não faz nenhum sentido, por exemplo, nos queixarmos tanto acerca da falta de amor no mundo se não somos capazes de começar a mudança em nós mesmos.

O que quero dizer é que você pode até ficar chateado se for rejeitado injustamente por alguém, no entanto, você faz o mesmo com dezenas de outras pessoas, às vezes, até com o pretexto de que o “santo não bateu sob o argumento da falta de afinidade.

Simplifique a vida

A vida seria muito mais descomplicada se exigíssemos menos das pessoas. Afinal, também não queremos que recaia sobre nós a responsabilidade de sermos perfeitos. Não estamos prontos e nem dispostos a isso, então por que exigir tal coisa dos outros?

Quando levamos uma vida despretensiosa, dificilmente haverá decepção. E não confunda isso com indiferença. Ser despretensioso é viver sem esperar nada além do natural. Ou seja, se você vive numa sociedade egoísta, não tem que se decepcionar caso você seja deixado para trás quando precisava da ajuda de alguém. É terrível, eu sei. Mas é o mundo em que vivemos, e para que isso não nos abale é preciso estar atento a essa realidade. Do contrário, se fecharmos os olhos fingindo que isso não existe, sofreremos muito mais a cada decepção.

Elimine do seu dia o hábito de reclamar

Quando nos queixamos do que fazem conosco, isso ganha um poder muito mais destrutivo do que a própria ofensa em si. Você não pode controlar o que as pessoas dizem ou fazem contra você, mas é você quem decide se isso vai doer ou não.

A melhor maneira de nos defendermos dos males que nos atingem é nos mantermos neutros e imparciais em relação a eles. A razão do sofrimento reside no apego que temos ao nosso próprio ego, afinal, achamos um absurdo não sermos reconhecidos como pessoas iluminadas e fantásticas que somos (modo irônico: ligado). Precisamos cultivar um olhar mais sincero e realista acerca de nós.

A ideia principal abordada aqui está em entender que somos todos imperfeitos. Disso todo mundo sabe, todo mundo diz, mas só aplicamos este conceito em benefício próprio, e nunca em relação aos outros. Esse mundo precisa de uma boa dose de empatia e menos egocentrismo. O grande mal está em acreditar que todos devem girar em torno do nosso umbigo, quando na verdade, também não estamos dispostos a orbitar o umbigo de ninguém. Então, cabe aqui a pergunta: por que exigir isso dos outros? Estamos todos no mesmo barco e sujeito às mesmas imperfeições. Quanto mais focarmos nos defeitos dos outros, menos estaremos atentos aos nossos e assim perderemos a oportunidade de nos enxergar e remover aquilo que nos impede de progredir e sermos felizes.

Leia também:

Sobre o autor/a autora

João Carlos
João CarlosTudo Inverso

João Carlos é um maltrapilho anônimo brincando de ser escritor. Em dias comuns, trabalha para sustentar seu vício em café e chocolate. Na folga, gasta a maior parte do seu tempo colecionando pensamentos subversivos. Repudia clichês, mas não resiste a uma alma sincera.

Escreva um comentário

Clique aqui para postar um comentário

Curta Caminhos no Facebook

271