Contioutra
Autoconhecimento

A segurança é a pior inimiga de sua liberdade

A segurança é a pior inimiga de sua liberdade
Existe um grande abismo conceitual entre liberdade e segurança. Todos almejam ambas quando, na verdade, as duas são ideias totalmente opostas. Se optar por uma, consequentemente não terá a outra.

Uma vida segura é previsível, estável. Tal como a vida de um prisioneiro. Aliás, é muito comum que alguns ex-presidiários sintam uma profunda sensação de desamparo e medo após saírem da prisão. As grades da rotina nos entorpecem dando uma falsa sensação de tranquilidade e paz, o que a princípio pode parecer bom, mas não nos deixa imunes às circunstâncias que nos cercam. Não demora muito e logo percebemos que toda aquela segurança não passava de mera ilusão.

Já a liberdade gera incerteza. Muito mais do que isso, ela é alimentada por incertezas. A vida sempre será uma eterna incógnita e insegura, o problema é que consideramos a insegurança algo ruim e com isso nos rendemos a uma existência medíocre a fim de nos poupar para um futuro que sequer sabemos se existirá.

A segurança destrói em pedaços uma das qualidades mais preciosas do ser humano: a criatividade. E aqui abro um parêntese para dizer que foram feitos alguns estudos na Nasa há 4 anos sobre inteligência artificial, e concluíram que nos próximos anos a maioria das atividades e profissões que conhecemos hoje serão realizadas por máquinas. Sabe qual será o nosso principal diferencial? A criatividade! Esta será a nossa grande moeda de valor no mercado e é o último estágio que dificilmente a inteligência artificial conseguirá alcançar.

A segurança é a pior inimiga de sua liberdade

Por buscarmos segurança em todas as esferas da nossa vida, temos medo de errar, criar algo novo, expor ideias, empreender. Mas esquecemos que a vida é totalmente incerta! E não há nada de errado nisso. Muito pelo contrário, a essência da vida é a imprevisibilidade.

É também preciso desmistificar o medo. Pois ele pode ser extremamente proveitoso. Muitos pensam que pessoas corajosas não têm medo. Mas a coragem não é ausência do medo, e sim a capacidade de coloca-lo de lado e seguir adiante. Medo todo mundo tem, é da nossa natureza. Nunca devemos negá-lo. Se soubermos usa-lo em nosso favor, ele poderá ser uma ótima ferramenta que nos ajudará a manter a atenção devida. Um frio na espinha, uma expectativa de alguma surpresa iminente ou o medo do desconhecido nos deixam alertas e vivos. Sentimos a vida pulsando em cada célula do nosso corpo diante do inesperado. O que raramente acontece numa vida planejada e previsível.

Não tenha medo de usar a sua criatividade. Use-a jamais buscando segurança, pois esta sempre foi uma grande falácia. Ouse ser livre para tomar o rumo que você deseja sem estar preso a paradigmas antigos e obsoletos. Lembre-se de que toda zona de conforto é segura, o problema é que nada cresce por lá.

Sucesso a todos!

Leia também:

Sobre o autor/a autora

João Carlos
João CarlosTudo Inverso
João Carlos é um maltrapilho anônimo brincando de ser escritor. Em dias comuns, trabalha para sustentar seu vício em café e chocolate. Na folga, gasta a maior parte do seu tempo colecionando pensamentos subversivos. Repudia clichês, mas não resiste a uma alma sincera.

Curta Caminhos no Facebook

Você gosta de escrever? Seja um colaborador do site!
Clique aqui para mais informações


Escreva um comentário

Clique aqui para postar um comentário


Curta Caminhos no Facebook

237