Início Sociedade

Sociedade

Destruição do meio ambiente: culpa dos mais velhos? Será?

No caixa do supermercado, uma jovem funcionária culpa uma cliente idosa pela destruição do meio ambiente, mas recebe uma resposta com a qual não contava.

ELE pode ganhar, mas NÃO teria viabilidade de ficar

Uma análise do tabu dos soberanos sobre o fenômeno Bolsonaro

África: o ventre da humanidade

Todos nós somos descendentes de africanos, inclusive você! Se queremos honrar/respeitar nossas origens, devemos então honrar/respeitar principalmente a África, que é a origem de todos nós.

Olho por olho e acabaremos todos cegos

Rubem Alves dizia que todos nós queremos falar, mas ninguém quer ouvir. Percebo que essa incapacidade de escutar tem piorado com o passar do tempo.

Estamos todos numa multidão e numa solidão ao mesmo tempo

Em um mundo cada vez mais conectado, é de se estranhar a tamanha solidão que nos forma.

Só há um luxo verdadeiro: as relações humanas

Estamos cada vez mais condicionados a uma vida voltada para o consumo, em que há uma desvalorização por completo do ser, uma vez que nesse jogo a única coisa que importa é o "ter". Desse modo, passamos a vida acumulando coisas, embora, tenhamos vidas vazias, solitárias e desprovidas de amor.

Sou visto, logo existo: Bauman e a cegueira moral

Pascal já dizia que o encontro mais doloroso da vida é entre o eu e o mim. Passados mais de trezentos anos, o homem moderno, com toda sua inteligência e exuberância, ainda teme esse encontro.

O furacão Irma e vidas que não têm o mesmo valor

Enquanto o furacão ainda destruía muitas existências no Caribe, já deixamos de dar atenção a isso para se preocupar com o estrago que ele faria nos Estados Unidos, mostrando claramente, mais uma vez, que a vida de uns é mais valorizada que a de outros.

A fome é motivo tão digno para fugir quanto a guerra!

É injusta essa diferenciação de que quem foge de guerra pode ficar na Europa e quem foge da fome não tem esse direito. Sofrimento é sofrimento, morte é morte e cada vida é uma vida que merece ser respeitada e salva na hora do aperto existencial, seja ele qual for. Não existe „perigo de vida digno“ e „perigo de vida indigno“, não há desespero certo e desespero errado, não existem seres humanos de diferentes categorias.

Conecte-se

Siga a página de Caminhos no Facebook e acompanhe as publicações do site.

Comente via Facebook